Vigilante

Quer receber vagas como essa no seu celular de graça? Cadastre-se agora!

Esqueceu sua senha?

Segundo dados divulgados pelo Mapa da Violência de 2012, o número de homicídios no Brasil cresceu 346,4% em 30 anos e, segundo relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o país tem a terceira maior taxa de roubos da América Latina. O relatório destaca, ainda, que esse número pode ser maior, uma vez que nem todos os casos são reportados às autoridades competentes.

Tais dados aumentam a insegurança da população a cada dia que passa, fato que também faz necessário o crescimento do número de profissionais ligados à segurança dos habitantes: no Brasil, são, aproximadamente, 200 policiais para cada 100 mil habitantes e quase 900 seguranças particulares para o mesmo número de pessoas.

É nesse cenário que a profissão dos vigilantes ganha destaque e mostra-se cada vez mais importante para a segurança dos moradores de diversas cidades brasileiras.

Área de Atuação

Esse profissional é o responsável pela segurança do local em que atua, vigiando e zelando pelo patrimônio que está sob sua responsabilidade. De forma mais ampla e parecida com a atuação do vigia, trabalham os vigilantes. Cabe a esses profissionais realizar a vigilância de instituições financeiras, a segurança de pessoas físicas e a guarda de cargas e itens de valor durante o transporte a diversos locais.

Vale ressaltar que a principal diferença entre esses duas profissões diz respeito à abrangência dos serviços executados. Enquanto os vigilantes têm funções mais voltadas à guarda patrimonial, os vigilantes atuam de um modo mais especializado e semelhante às atividades de policiamento, necessitando de licença especial para exercer a profissão.

Geralmente, os vigias trabalham no período da noite a são responsáveis pela guarda de casas, condomínios, prédios residenciais e comerciais, escritórios, shoppings centers, supermercados, hotéis e hospitais. A média salarial para esses profissionais é de, aproximadamente, R$ 1.120,00. Eles também contam com redução da hora noturna para 52 minutos e 30 segundos e pagamento do adicional noturno de, no mínimo, 20% sobre a hora diurna.

Capacitação

Por realizarem um serviço bastante específico e que pode colocar a vida em risco, é altamente recomendado que os candidatos à vaga de vigilante realizem cursos para qualificação na área. Entre as instituições que oferecem esse tipo de profissionalização, está o Instituto Brasileiro de Ensino Profissionalizante. Com carga horária de 16 horas e validade de um ano, o curso NR33 para trabalhadores autorizados e vigias é obrigatório para o profissional interno e externo desse setor, é elaborado de acordo com as exigências do Ministério do Trabalho e Emprego e fornece todas as instruções necessárias para realização das atividades de forma segura e eficiente.